Vale-Cultura

 

IMG_20130823_171658

Foi divulgado hoje no Diário Oficial da União, as regras para o funcionamento do Vale-Cultura. O IMCITA esteve na reunião do dia 23 de agosto na presidência da Câmara de vereadores. Havia a expectativa da presença da Ministra da Cultura Marta Suplicy, o que não aconteceu. Em seu lugar, o Secretário do Ministério da Cultura Henilton Menezes deu explicações sobre o funcionamento do Vale-Cultura. Sob o ponto de vista do Ministério, o Vale-Cultura terá a funcionalidade de um “vale refeição”, o trabalhador receberá créditos mensais no valor de R$ 50,00, que serão cumulativos, ou seja, mesmo que ele não use ficará lá disponível, em um cartão magnético e poderá adquirir produtos na área cultural, assistir peças, shows, filmes, comprar livros. Na mesma reunião, foi levantada a questão de como essa lei beneficiará os Artistas de Rua e outros nichos que ficaram fora da implementação do projeto. Antes de qualquer coisa, caro artista, saiba que você deve estar formalizado com seu cnpj, e enquadrado em “classes econômicas culturais” já estabelecidas na publicação do D.O. de hoje, isso também vale para MEIs. A grande questão é que você tem que ter a “maquininha” das operadoras, o aluguel da mesma gira em torno de R$ 100,00.  Na mesma reunião foi sugerido que o artista de rua adquira um equipamento que acoplado ao celular faz a função da tal “maquininha”, institucionalizando dessa forma o “chapéu eletrônico”. Campanhas já estão sendo implementadas nas empresas para que façam adesão ao sistema. Segundo Henilton, o Ministério da Cultura não tem como fiscalizar o uso desse recurso especificamente para produtos culturais. Por exemplo, as bancas de jornais serão credenciadas. O trabalhador pode comprar com o cartão cigarro, chocolate e outros produtos. Segundo o secretário, a fiscalização depende da ajuda da população. Por exemplo, se você flagrar o trabalhador comprando produtos, que não sejam culturais, com o Vale-Cultura, você pode fotografar e enviar ao Ministério da Cultura em forma de denúncia, institucionalizando o “X9 Cultural”. Brincadeiras à parte, o projeto esbarra em críticas de vários setores da cultura, principalmente pela falta mais ampla de diálogo. Obriga o artista a se formalizar, mas o coloca numa briga desigual com outros setores da cultura que já desempenham um processo economicamente voraz na área cultural. Cinemark, globofilmes e os musicais, esses aliás que já são beneficiados com dinheiro público da Rouanet, serão beneficiados duas vezes agora com o Vale-Cultura, pois o trabalhador poderá adquirir o ingresso.

 

Confira a lista de produtos e serviços que podem ser adquiridos com o  Vale-Cultura:

 

Artesanato – Peça
Cinema – Ingresso
Curso de Artes – Mensalidade
Curso de Audiovisual – Mensalidade
Curso de Circo – Mensalidade
Curso de Dança – Mensalidade
Curso de Fotografia – Mensalidade
Curso de Música – Mensalidade
Curso de Teatro – Mensalidade
Curso de Literatura – Mensalidade
Disco-Áudio ou Música – Unidade
DVD-Documentários/Filmes/Musicais – Unidade
Escultura – Peça
Espetáculo de Circo – Ingresso
Espetáculo de Dança – Ingresso
Espetáculo de Teatro – Ingresso
Espetáculo Musical – Ingresso
Equipamentos de Artes Visuais – Unidade
Equipamentos e Instrumentos Musicais – Unidade
Exposições de Arte – Ingresso
Festas Populares – Ingressos
Fotografias/Quadros/Gravuras – Unidade
Jornais – Unidade
Livros – Unidade
Partituras – Unidade
Revistas – Unidade

 

 

Diário oficial de hoje – Vale-Cultura

 

http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=06/09/2013&jornal=1&pagina=11&totalArquivos=204

 

http://www.in.gov.br/visualiza/index.jsp?data=06/09/2013&jornal=1&pagina=12&totalArquivos=204

 

Anúncios

“IMCITA ocupa a Praça”

dia 23

 

O evento “OCUPA A PRAÇA” é organizado de forma independente pelos artistas locais de Itaquera, onde mais uma vez, não recebemos apoio de estruturas básicas como palco, banheiros e equipamento de som. Manifestamos nossa indignação com relação ao descaso com os artistas e a comunidade do José Bonifácio (bairro que comemora este mês 33 anos!).
Reforçamos o convite para união e fortalecimento dos artistas e comunidade para cobrar políticas públicas para que o bairro receba e tenha atividades culturais constantes e de qualidade sem esquecer da valorização dos artistas locais.
Lembrando que somente no José Bonifácio temos mais de 150.000 habitantes sendo muitos destes, jovens com poucas opções de lazer e cultura, então fica a questão: O que fazer para mudar esta situação?

IMCITA se reúne com o Secretário da Cultura Juca Ferreira

983352_636326863063231_1068065704_n

O IMCITA – Integração dos Movimentos Culturais de Itaquera, movimento formado por 32 grupos e artistas da região, se reuniu com o Secretário Municipal da Cultura Juca Ferreira, nesta quinta-feira, 06/06 em seu gabinete. O encontro contou com a participação do Deputado Estadual Alencar Santana, proponente da audiência pública sobre o Vale Cultura, que aconteceu na Assembleia Legislativa com a ministra da cultura Marta Suplicy.

974108_636326943063223_883441662_nOs representantes do IMCITA: Marcello Nascimento (Coletivo Alma), Valquiria Gama e Vlamir Camargo (Cia Oslô), Ivan Leandro e Wagner Gama (AV3) e Fábio Santos (ContraParte). Apresentaram ao Secretário um histórico dos grupos e coletivos que fazem parte do IMCITA e apresentaram um documento com propostas para a região relacionadas com o plano de metas da Prefeitura de São Paulo, além de propostas de projetos de fomento à cultura de Itaquera e região. O Secretário da Cultura, confirmou o processo de transição das Casas de Cultura para a sua pasta, também disse que o mesmo acontecerá com os CEUs da cidade, numa gestão compartilhada com a Secretaria da Educação, o que já vem sendo construído em reuniões com o Secretário da Educação. O movimento, reafirmou ao secretário, a importância do processo de diálogo com os diversos movimentos culturais das regiões periféricas. O Secretário se colocou à disposição para a participação das agendas dos movimentos, entre elas o “IMCITA ocupa a Praça” promovido pelo IMCITA em junho e se mostrou bastante interessado no “Forúm de Cultura da Zona Leste” promovido pelo “Encontro ZL”.

Avaliamos de forma positiva o encontro, e vamos continuar na luta!

http://www.imcita.wordpress.com

Secretário da Cultura Juca Ferreira, no encontro com a classe teatral

Secretário Municipal de Cultura no encontro com a categoria teatral

Secretário Municipal de Cultura no encontro com a categoria teatral

No dia 27/06, segunda-feira, aconteceu o terceiro encontro da série Existe diálogo em São Paulo, promovido pela Secretaria da Cultura. No primeiro encontro, por sinal lotado, todos, ou a grande maioria, dos setores da Cultura compareceram. No segundo encontro, com o Hip Hop, o Secretário ouviu as demandas dos vários movimentos da cidade, com intervenção do “imciteiro” e grande parceiro Júnior do Levante Popular da Juventude. E ontem no terceiro encontro com os movimentos teatrais, o Secretário, em sua primeira fala, disse que as Casas de Cultura passarão a ser administradas pela Secretaria da Cultura, registramos o momento na foto: “A posição política já foi tomada. Eu acredito que em um mês já esteja tudo certo. E é de comum acordo entre a Secretaria das Subprefeituras e a de Cultura e nós vamos trabalhar juntos. Já estamos fazendo reuniões com os coordenadores das casas para afinarmos as violas”, afirmou o Secretário. O Prefeito Fernando Haddad, atendeu dessa forma a reivindicação do Secretário da Cultura, e de vários movimentos culturais das regiões das periferias. Da mesma forma, a Secretaria da Educação fará uma gestão dos CEUs compartilhada com a Secretaria da Cultura. O IMCITA agora, participa da luta para o aumento de verbas para a Secretaria da Cultura, que nesse ano é o menor dos últimos 10 anos e pela proporcionalidade na distribuição dessas verbas. Que a região leste seja atendida pelo o que ela representa e produz no cenário cultural da cidade.